Terça-feira, 10 de Agosto de 2010

E adeus pedra...

.

Falar sobre a pedra de cada um

É complicado

Cada um tem a sua

E o direito a ser apenas sua

Mas há sempre os que insistem

Em que a pedra dos outros

É melhor que a deles

e partem sem destino

ignorando que as melhores

pedras

estão mesmo ali

debaixo dos seus pés

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

.

Ainda bem que esta coisa da pedra

Era só para durar uma semana

Pois já estava a ficar pedrado de todo.

.

.

.

.

.

.

E com as pedras de hoje me vou

Amanhã, seja o que Deus quiser

Ou eu….

….

.

.

.

.

Não se iludam pelas formas

Pois também isto não é poesia.

 

 

 

 


publicado por Fer.Ribeiro às 03:34
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 9 de Agosto de 2010

Pedra e poesia pois

 

.
Ora cá esta ela,
toda arrumadinha,
aparelhadinha, l
ado a lado,
uma após a outra,
desenhando curvas de ilusão,
desafiando as geometrias
mais complexas,
eu sei lá…
para um lado e para o outro,
lá vamos debitando os nossos passos,
apressados ou não sem quase nunca
nos darmos conta que são elas
que conduzem o nosso caminho,
aliás como em tudo na vida…
julgamos conduzir e somos conduzidos,
nem que seja por simples cubos de granito…
é a pedra!
Das folhas caídas e outros (possíveis) poemas,
hoje não vos falo
dou apenas forma de poema à prosa
pois
fartei-me de as aturar
(impingidas)
no tempo em que tudo
ainda era brincadeira…
Mas ái de alguém que diga que isto não é poesia!
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
eu sei que nem é poesia e a prosa até é fraca, mas às vezes basta a forma para criar a ilusão.

 

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.

.

 

tudo depende da pedra!
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
dá-me gozo gozar assim.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
acabou, não há mais!
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
pedra por hoje!
.

 


publicado por Fer.Ribeiro às 03:12
link do post | comentar | favorito
Sábado, 3 de Julho de 2010

Na meseta de Cuenca há sempre um Quixote...

 

 

 

.

 

Pode não estar lá, pois pode, aliás nunca o vi…

Mas tal como numa miragem, neste sonho

Vejo-o sempre, nem sequer o Sancho falta.

 

.

 


publicado por Fer.Ribeiro às 03:26
link do post | comentar | favorito
Segunda-feira, 21 de Junho de 2010

às vezes aconteciam sombras

 

.

 

Já há muito que sei que as sombras acontecem

Agradáveis quando o sol e o calor apertam

Artísticas se as virmos como tal

Mas também não esqueço

Que é nelas

Que os cinzentos se disfarçam…

 

Já lá vai o tempo em que as sobras aconteciam

E eu não sabia.

 

 

 



publicado por Fer.Ribeiro às 03:11
link do post | comentar | favorito
Domingo, 6 de Junho de 2010

Opressões sem depressões

 

.

 

 

Na natureza, com simplicidade

tudo é belo e perfeito, consegue até

conciliar-se com quem a oprime.

 

 



publicado por Fer.Ribeiro às 03:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 29 de Maio de 2010

Nem migalha

 

.

 

Subimos aos píncaros

Ultrapassamos as nuvens

E nem sequer uma migalha conseguimos ser…

 

 

 


publicado por Fer.Ribeiro às 02:45
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 28 de Maio de 2010

Despido

 

 

 

 

 

Cheguei aqui carregado de palavras

Algumas Inteiras, cheias,

Outras aos pedaços para compor

Trazia versos e rimas

Trazia emoções    muitos momentos

Aromas e cores

Vinham carregadas de intenções

Talvez para umas quadras

Um soneto...


Não… não era prosa que queriam

Mas poemas e muita poesia…

 

 

 

Cheguei aqui carregado de palavras

Mas bastou um olhar

profundo

Para ficar despido

Sem uma sílaba

ou uma letra sequer.

 

 


publicado por Fer.Ribeiro às 02:30
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 25 de Maio de 2010

Gostos gostosos

 

 

.

 

Saber o que nos espera é sempre bom, um chá reconfortante, um mimo de mãe

Sempre que adoeço, penso nisso

Quando tenho saudades, também

Quando estou cansado, imploro-o

Saber que existe, tranquiliza os nossos passos

Casa, leito, lar, mãe…

Tanto faz! Desde que exista.


 

Que gosto gostoso será esse

Que nos leva à descoberta dos caminhos

Desafiando o desconhecido

Que se perde para lá do horizonte!?

 

 

 



publicado por Fer.Ribeiro às 02:40
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 21 de Maio de 2010

Maria Maio - Amsterdan

 

.

 

 

 

Maria Maio


 

maria é uma palavra grande

dada em sorrisos

para ser mastigada devagarinho


 

maria é uma palavra grande

que ontem

eram os doces braços de mãe

e hoje descubro

no perfume dos campos de Maio


 

maria é uma palavra grande

que faz de cada palavra um verso

e a ausência        semeia saudade

e a esperança de estar aqui


 

fer.ribeiro – In «Poesía dos Aléns»

 

 

 



publicado por Fer.Ribeiro às 01:50
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sexta-feira, 14 de Maio de 2010

O Leiranco do Barroso

 

.

 

Na poesia desenhada de um momento

Carregada de  simplicidade , pureza e beleza…

Esquece-se o assustador dramatismo ocultado dos momentos que a sucedem…

 

 

.

 


publicado por Fer.Ribeiro às 22:55
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 29 de Abril de 2010

Por esse Douro Acima

Apetecia-me dizer

que foi  mão de artista

pincel e óleo

que pintalgou

a tela

mas falta-lhe a arte

do natural.

 

.

.

 

assim

Os elogios

Sinceros

Ofereço-os por inteiro

à natureza

Pois só ela

Sabe ser  pura e bela.

 

 

.


publicado por Fer.Ribeiro às 03:14
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 27 de Abril de 2010

Triunfo

 

.

 

Como diria Mário de Sá Carneiro

 

“Eu não sou eu nem sou o outro, sou qualquer coisa de intermédio… que vai de mim até ao outro”

 

do tédio, não gosto, mas gosto do glamour, das luzes, dos copos, da ribalta, dos pulos, das cambalhotas e da noite. Lamentar, só lamento mesmo as manhãs de tédio que se lhes sucede… mas às vezes, tem-de-ser e o ter-de-ser, tem muita força…

 

 

.

 



publicado por Fer.Ribeiro às 03:24
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 26 de Abril de 2010

A Manecas

 

.

 

 

A Manecas é nova na cidade

Apareceu de repente, do nada

Plantou-se à janela

E faz questão de estar lá todo o dia

Vê quem passa e toda a gente a vê

Diferente

Sem braços

Com mamas mas careca

Está lá, como quem espreita um pormenor

Ou espera alguém…

 

 

.



publicado por Fer.Ribeiro às 03:30
link do post | comentar | favorito
Domingo, 25 de Abril de 2010

25 de Abril - Sempre!

 

.

 

 

Não procurem nos livros que não vem nos livros

País de Abril fica no ventre das manhãs

Fica na mágoa de o sabermos tão presente

Que nos torna doentes sua ausência decretada


 

In a Praça da Canção – Explicações do País de Abril, Manuel Alegre

 

 

.


publicado por Fer.Ribeiro às 00:00
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Sábado, 24 de Abril de 2010

às vezes também me apetece

 

.

 

Às vezes

Também me apetece ser marinheiro

Entrar por mar adentro

Fixar olhares no horizonte

E esperar

Que a terra me surpreenda de novo…

 

 

.


publicado por Fer.Ribeiro às 02:15
link do post | comentar | favorito

.Para acompanhar

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. E adeus pedra...

. Pedra e poesia pois

. Na meseta de Cuenca há se...

. às vezes aconteciam sombr...

. Opressões sem depressões

. Nem migalha

. Despido

. Gostos gostosos

. Maria Maio - Amsterdan

. O Leiranco do Barroso

.arquivos

. Julho 2017

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Março 2005

.tags

. todas as tags

.Creative Commons

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

.Desde 09-01-07

.Estão a espreitar

online

.G+

SAPO Blogs

.subscrever feeds