Sábado, 4 de Setembro de 2010

A caminho do fim

.

Está decidido - está decidido, este blog acaba mesmo e, no entanto, já começo a ter saudades dele mesmo antes de o terminar. Talvez por causa das minhas queridas geometrias, a sua pureza da forma, a sua exactidão, o seu rigor, a sua perfeição, sim, a sua perfeição, porque a geometria é única, é perfeita, pois não há outra forma de a conjugar.

 

Projecções, ortogonais ou não, riscos, traços, sombras, rectas e curvas, tal como a poesia, basta entendê-las, estar em sintonia com elas para ficarmos presos como eternos e fiéis amantes.

 

 

 


 


publicado por Fer.Ribeiro às 21:12
link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Segunda-feira, 15 de Março de 2010

A arte da geometria com palavras de mestre

 

.

 

“O homem volta-se para a geometria como as plantas se voltam para o sol:  é a mesma necessidade de clareza. Todas as culturas foram iluminadas pela geometria, cujas formas despertam no espírito um sentimento de exactidão e de evidência absoluta.”

Nadir Afonso


publicado por Fer.Ribeiro às 00:41
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 15 de Dezembro de 2009

Questões de geometria

.

A beleza da geometria está na explicação de todas as coisas e por mais ou menos complexidade com que se trate, terminará sempre em várias rectas a convergir para o infinito. Claro que, como em tudo, a geometria também tem as suas rebeldias e as suas sombras e, nem sequer quero falar da recta bêbada que ziguezagueia conforme o grau com que foi colorida , com branco ou tinto, tanto faz, acabará por andar à roda, em curvas perfeitas ou não, para (como diria o mestre das palavras), acabar por serem vomitadas.

 

Moral do pensamento: Seja qual for a recta, convergirá para o infinito.

.

 

.

Claro que não se poderá tratar a geometria com esta leviandade da convergência no infinito, pois o contrário também é verdadeiro. Diria mais, na geometria, como na vida, tudo é possível. Converge-se, diverge-se, cruzam-se rectas como quem cruza olhares e, há as que paralelas, nunca se encontrarão…e deixo de parte os traços, que se querem sempre desenhados a preto sobre branco, que conforme a luz, lá terão a suas sobras.

 

Moral do pensamento: Tal como a vida, a geometria poderá explicar todas as coisas ou não.

 

Moral de ambos os pensamentos: É tudo uma questão de luz, pois às escuras, não há geometrias possíveis.

 

Talvez por tudo isso, por ser mais simplificada, a noite também tem os seus encantos, no entanto, há quem a aproveite para dormir…

 

Bem!  É melhor ficar por aqui, que às tantas, é na noite que está a explicação das coisas todas!

 

E o ponto!? Bem, esse, fica sempre pró fim.

 

.

 


publicado por Fer.Ribeiro às 03:31
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito

.Para acompanhar

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.posts recentes

. A caminho do fim

. A arte da geometria com p...

. Questões de geometria

.arquivos

. Julho 2017

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Março 2005

.tags

. todas as tags

.ligar a:

.Creative Commons

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

.Desde 09-01-07

.Estão a espreitar

online

.G+

blogs SAPO

.subscrever feeds