Quinta-feira, 22 de Fevereiro de 2007

Coisas estranhas, em Chaves

.

Em Chaves, às vezes, acontecem coisas estranhas. Enquanto uns se manifestam, outros, manifestam-se e teimam em deixar a nú, as suas manifestações.

 

Em Chaves acontecem coisas estranhas! Às vezes.

 


publicado por fr às 01:39
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 19 de Fevereiro de 2007

Os cigarróns do introido

.

Uma vez por ano eles aí estão nas ruas galegas de Verin. Uma vez por ano lá estou eu, também. Penso que estes cigarróns são muito viciantes, será das cores com muita nicotina ou do amarelo dourado da cerveja!?


publicado por fr às 02:44
link do post | comentar | favorito
Domingo, 18 de Fevereiro de 2007

Rio Terva

.

Com o cheiro à primavera, por aqui, alguns rios florescem. Este é o Terva em terras de Boticas.


publicado por fr às 01:05
link do post | comentar | favorito
Sábado, 17 de Fevereiro de 2007

Casamentos

.

Desde criança que adoro brincar. É a minha maneira de levar a vida a sério. Brinquei ao peão, às escondidinhas, ao já-estás, ao trinca-cevada, às corridas, aos cromos, aos berlindes e até aos botões e aos médicos. Cresci e comecei a brincar com os livros, com as meninas, com as noites e até aos copos. Cresci mais e brinquei no altar e no trabalho. Cresci ainda mais e brinquei com fraldas, chupetas, termómetros, dores de cabeça e até com o fim-do-mês. Todos os dias cresço, continuo a crescer e, cresço e, cresço e, brinco claro!

 

Agora que tanto cresci, já sou grande e levo a vida a sério, mas só encontro uma maneira de vivê-la, é a brincar, mas a sério. A brincar a sério.

 

Ficha técnica da foto: Enquanto alguém se casava, alguém brincava com adereços e como para brincar é preciso imaginação, o brincalhão brinca com as cores de tão nobre coroação, ou não. Seja como for, foi à seria (ou será: a sério) que a brincadeira se fez. Quanto ao ouro, ficou nos dedos dos noivos, que a brincar, logo se verá se levam a vida a sério.

 

Enfim, como dizia o poeta, Mário de Sá Carneiro, que também não levou a vida a sério:

 

Eu não sou eu nem sou o outro,

Sou qualquer coisa de intermédio:

Pilar da ponte de tédio

Que vai de mim para o Outro.

 

Mas, de preferência… a bricar!

 


publicado por fr às 02:52
link do post | comentar | favorito
Quarta-feira, 14 de Fevereiro de 2007

Dia dos namorados

rosa

.

Uma rosa para quem namora!


publicado por fr às 16:11
link do post | comentar | favorito
Terça-feira, 13 de Fevereiro de 2007

Arrependido!... quem, eu!?

.

Fugir não é a solução quando não podemos fugir

Como ficar não é solução quando não podemos ficar

Resta-nos o arrependimento, porque nos vamos arrepender sempre

Mas o que custa

Foi não ter fugido ou ter ficado

Mas custar mesmo, custa a dúvida

Por isso mesmo, mais vale partir, ou ficar…

Já não sei!

Estou com dúvidas…

Pela certa que me vou arrepender!

 

sinto-me: Tou na dúvida!

publicado por fr às 02:32
link do post | comentar | favorito
Domingo, 11 de Fevereiro de 2007

Nau catrineta

.

Lá vem a nau catrineta que traz muito que contar

Num constante vai e vem de turistas passear

Feita a rigor na arte do imitar

Faz as delícias de quem a vê passear no mar

 


publicado por fr às 01:03
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Terça-feira, 6 de Fevereiro de 2007

A moda da Luísa ver...Encarnada

.

Lá vai uma, lá vão duas, três Luísas a galgar, uma é minha, outra é tua e a outra é a imitar...

 

Nascia assim a moda do vermelho (ou melhor – encarnado, deixem-me presumir ser pessoa fina!) Começando de novo: Nascia assim a moda do encarnado das Luísas que sobem, que sobem e sobem a calçada… o resto é da lenga-lenga do apalpa e não sei que mais…ou melhor,  a lenga-lenga é essa do uma é minha outra é tua. Então corrijo outra vez – O sobe que sobe e o resto por aí fora…é poesia.

 

sinto-me: Comfuso ou com fuso!?

publicado por fr às 02:19
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Segunda-feira, 5 de Fevereiro de 2007

Top Model

.

Que me desculpem os puristas de ter tomado a liberdade de brincar com a nossa Top Model e com a sua idade, mas ela pela certa que não se importa, porque já há muito que é madura para permitir brincadeiras aos amigos dos arcos.


publicado por fr às 02:46
link do post | comentar | favorito
Sábado, 3 de Fevereiro de 2007

Puras, mas inocentes, mentiras

.

Quem me dera que todas as mentiras fossem assim, puras mas inocentes.


publicado por fr às 22:18
link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 2 de Fevereiro de 2007

Azul, simplesmente azul

.

Se me perguntarem qual é a minha cor preferida, eu respondo logo e sem hesitar – é a azul.

 

Confronto-me hoje com a questão – Porque respondo eu assim!? Se nunca pintaria uma casa de azul, nunca teria um carro azul, e na vestimenta uso o azul da ganga porque a ganga é azul, e só isso. Afinal porque gosto eu do azul ou porque respondo eu que o azul é a minha cor preferida?

 

Talvez seja por ser uma cor “macha” (o azul é do menino e o rosa é da menina), complexo de Édipo!?, talvez, mas não creio que o seja. Afinal porque o azul!?

 

Pensando bem, matutando e depois de beber duas ou três cervejas (para libertar ideias) e matutando novamente, acho que estou rendido à predominância do azul. O Ecrã de fundo do meu monitor é azul. O ecrã do meu Windows, da minha janela que afinal se abre para o mundo é a do o céu, que é azul. O Bill sabia bem o porque quando escolheu o azul. O mar que tanto me espanta, é azul. No espelho do meu rio, por cima da sua transparência, vejo o azul.

 

Estou feliz. Afinal acho que já sei porque gosto do azul! Afinal sou (felizmente) um merdas de um homem comum que como todos, gostam do azul  por ser uma cor e coisa comum que me invade o preencher dos dias.

 

Sinto-me feliz por saber, mas ainda não estou convencido.

 

Para já fica este azul, olhado pela objectiva do fotógrafo, que por acaso gosta do azul.

 

Azuis dias para todos!  

 


publicado por fr às 01:41
link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 1 de Fevereiro de 2007

Furadouro

.

Sempre de peito virado ao mar, até em terra o desafia e encara esse mar salgado do sal que são lágrimas de Portugal. Se assim é quem o desbrava, que dizer então da raça de marinheiros que o acompanham!?


publicado por fr às 00:59
link do post | comentar | favorito

.Para acompanhar

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Julho 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20

23
24
25
26
27
28
29

30
31


.Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

.posts recentes

. Às cegas com uma nesga de...

. Sobre a calçada

. Um elogio ao equinócio da...

. Reflexos flavienses

. Nyc - Reflexos

. Devaneios Fotográficos

. Outros sabores à margem

. New Yorker

. Reflexos

. Amsterdam

.arquivos

. Julho 2017

. Março 2016

. Fevereiro 2016

. Setembro 2012

. Agosto 2012

. Julho 2012

. Setembro 2010

. Agosto 2010

. Julho 2010

. Junho 2010

. Maio 2010

. Abril 2010

. Março 2010

. Fevereiro 2010

. Janeiro 2010

. Dezembro 2009

. Novembro 2009

. Outubro 2009

. Setembro 2009

. Março 2009

. Fevereiro 2009

. Janeiro 2009

. Dezembro 2008

. Novembro 2008

. Setembro 2008

. Julho 2008

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

. Outubro 2007

. Setembro 2007

. Agosto 2007

. Julho 2007

. Junho 2007

. Maio 2007

. Abril 2007

. Março 2007

. Fevereiro 2007

. Janeiro 2007

. Dezembro 2006

. Junho 2006

. Abril 2006

. Março 2006

. Março 2005

.tags

. todas as tags

.Creative Commons

Creative Commons License
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons.

.Desde 09-01-07

.Estão a espreitar

online

.G+

SAPO Blogs

.subscrever feeds